O carinho pelo Radio e os cuidados com a voz Por Cristovão Lemos 27 julho 2010 em 22:11 e Nenhum Comentário

 

 

Por: Sidney Santos Joaquim

Ele trabalha de 12 a 14 horas por dia e está à frente num dos maiores jornais da TV brasileira com garantido índice de audiência, foi o mais jovem repórter a apresentar o programa “O Globo No Ar” da Rádio Globo e hoje apresenta o “SP Record”.

É Reinaldo Gottino, 40 anos, jornalista e apresentador em entrevista exclusiva fala ao repórter do portal Estrada do Saber  sobre os cuidados que devemos ter com a voz e sobre a facilidade que um profissional do radio encontra quando se trabalha na TV.

Sua trajetória na comunicação teve inicio na Radio CBN onde permaneceu por seis anos “aprendi muito”, conta. Por conseqüência acabou sendo contratado para trabalhar na Radio Globo no quadro “O Globo No Ar”, onde era o repórter mais jovem da Rádio. Posteriormente acabou se transferindo para Rede Gazeta trabalhando nos programas “Mesa Redonda” e “Gazeta Esportiva” ,ali seu desejo por esportes aumentou. “poucas pessoas sabem, mas comecei com os esportes”, relata.

Ao ser perguntado sobre a experiência de como é trabalhar na radio,Gottino é claro em afirmar que a radio da para qualquer pessoa uma forma de improviso sem igual e que de longe não há comparação com a televisão “a televisão é uma grande escola porém o radio é algo espetacular ,ele te da uma forma de improviso que muitas vezes, usado na televisão é essencial, e qualquer jornalista que vem da radio para TV tem maior facilidade de trabalho sem duvida” afirma.

Ao se tratar dos cuidados com a voz, ele sabe que a sua voz é um instrumento importante em sua carreira, mas que sua atitude não é exemplo para ninguém, pois faz tudo o que não é para fazer. Segundo ele, a Record tem uma fonoaudióloga que está sempre à disposição dos funcionários e que vive levando bronca dela por causa das bebidas geladas.

“Olha eu nunca tive problema com a voz. Para ser sincero eu não tenho regras. Nunca parei para me cuidar, esse lance de evitar gelado, eu não consigo para mim o refrigerante tem que ser gelado, é a mesma coisa de ter que tomar cerveja quente. Então… na verdade o que eu procuro fazer é descansar a voz e fazer alguns exercícios, que foram passados pela fonoaudióloga, antes de entrar no ar”, finaliza.

Deixe um comentário