2

NARRAÇÃO (2) 23 setembro 2010 em 21:37 por Cristovão Lemos

NARRAÇÃO (2)

As narrativas têm acompanhado o homem desde os tempos mais remotos. Não há povos

sem narrativas, pois o homem sente necessidade de recriar os fatos vividos, ou,

por meio da imaginação, inventar.

Uma narrativa pode trazer falas de personagens entremeadas aos acontecimentos.

Para tanto, faz-se uso dos chamados discursos: direto, indireto ou indireto livre.

Tipos de discursos

No discurso direto, o narrador transcreve as palavras da própria personagem. Para tanto,

recomenda-se o uso de algumas notações gráficas que marquem tais falas: travessão,

dois pontos, aspas. Mais modernamente, alguns autores não fazem uso desses recursos.

O discurso indireto apresenta as palavras das personagens mediante o narrador que

reproduz uma síntese do que ouviu, podendo suprimir ou modificar o que achar necessário.

A estruturação desse discurso não carece de marcações gráficas especiais, uma vez que

sempre é o narrador que detém a palavra.

  Leia port completo →

+ NARRAÇÃO (1) Por Cristovão Lemos 23 setembro 2010 em 21:31 e Nenhum Comentário

NARRAÇÃO (1)

A narração tem o objetivo de contar uma história real, fictícia ou que mescle dados

reais e imaginários. Baseia-se numa evolução de acontecimentos, mesmo que não

mantenham relação de linearidade com o tempo real. Sendo assim, está pautada em

verbos de ação e conectores temporais.

A modalidade narrativa de texto pode constituir-se de diferentes maneiras: piada,

peça teatral, crônica, novela, conto, fábula etc.

Tipos de narrador

A narrativa pode estar em 1ª ou 3ª pessoa, dependendo do papel que o narrador assuma

em relação à história. Numa narrativa em 1ª pessoa, o narrador participa ativamente dos

fatos narrados, mesmo que não seja a personagem principal (narrador =

personagem).

Exemplo:

Estava andando pela rua quando de repente tropecei em um pacote embrulhado em jornais.

Peguei-o vagarosamente, abri-o e vi, surpreso, que lá havia uma grande quantia em dinheiro.

Já a narrativa em 3ª pessoa traz o narrador como um observador dos fatos que pode até

mesmo apresentar pensamentos de personagens do texto (narrador = observador).

Exemplo:

João estava andando pela rua quando de repente tropeçou em um pacote embrulhado em jornais.

Pegou-o vagarosamente, abriu-o e viu, surpreso, que lã havia uma grande quantia em dinheiro.

O bom autor toma partido das duas opções de posicionamento para o narrador, a fim de criar

uma história mais ou menos parcial. Este pode ser, basicamente, de dois tipos:

Leia post completo →

+ PLEONASMO Por Cristovão Lemos 23 setembro 2010 em 21:26 e 2 Comentários

 

___________PLEONASMO________

Pleonasmo ou redundância é a repetição da mesma idéia. Essa redundância pode ser positiva ou negativa.

  • · Redundância Positiva: quando é proposital, usada como recurso expressivo. Esse tipo de redundância enriquece o texto.

 

Exemplo: Posso afirmar que escutei com meus próprios ouvidos aquela declaração

fatal.

 

  • · Redundância Negativa: quando é inconsciente, chamada de pleonasmo vicioso, tautologia ou perissologia. Esse tipo de repetição empobrece o texto, sendo considerado um vício de linguagem e por isso deve ser evitado para que não comprometa o texto.

  Leia post completo →

+ Conjunções Por Cristovão Lemos 08 agosto 2010 em 19:24 e Nenhum Comentário

Conjunção é uma palavra invariável que liga orações ou palavras da mesma oração.

Do ponto de vista semântico, a conjunção pode assumir vários significados, dependendo da relação que estabelece entre as orações.

Do ponto de vista morfológico, a conjunção é invariável, não possuindo, portanto, flexão de gênero, número e grau.

Do ponto de vista sintático, a conjunção funciona sempre como conectivo, relacionando duas orações ou dois termos da mesma oração.

Quando duas ou mais palavras equivalem a uma conjunção, tem-se a locução conjuntiva. Ex.: visto que, à medida que, salvo se.

As conjunções classificam-se em coordenativas e subordinativas.

  • · As conjunções coordenativas são as que ligam orações ou termos da oração sintaticamente independentes. As conjunções coordenativas classificam-se de acordo com o tipo de relação que estabelecem entre as orações:

Leia post completo →

+ Abreviaturas Por Cristovão Lemos 08 agosto 2010 em 18:58 e Nenhum Comentário

Todos temos dúvidas sobre abreviaturas por isso segue abaixo algumas dicas:

  • · Nos textos corridos, evite usar abreviaturas.

Exemplo:

Comprou 3 quilos. (e não 3 kg)

  • · Nenhuma das abreviaturas do sistema métrico decimal tem ponto ou plural.

Exemplos:

6 km (e nunca 6 kms)

8 h (e nunca 8 hs)

16 l (e nunca 16 ls)

40 g (e nunca 40 g)

  • · Têm plural com S as abreviaturas constituídas pela redução de palavras e as que representam títulos ou formas de tratamento.

Exemplos:

sécs. págs. segs. Srs.

Exceção: d. (para dons e donas)

Leia post completo →

+ A vida de um estagiário Por Cristovão Lemos 27 julho 2010 em 22:15 e 5 Comentários

Por :Sidney Santos

“Carol busca para mim a fita 7903, ah! aproveita e pega a “criança fumante”, olha… não esquece que depois você tem que ir para radio escuta!”

Essas e outras frases são apenas algumas das diversas coisas que um estudante de jornalismo em começo de carreira vai ouvir ao longo do seu estágio que pode durar de um a dois anos.

Carolina Ianelli, estudante de jornalismo da faculdade Metodista é estagiaria da Rede Record e trabalha cerca de 8 horas por dia carregando fitas de um lado para outro “As laudas têm que ser entregues pelo menos 5 minutos antes do jornal começar, desde a técnica até os apresentadores, chego a imprimir mais ou menos cerca de 600 folhas em três jornais” desabafa.

Leia post completo →

+ O carinho pelo Radio e os cuidados com a voz Por Cristovão Lemos 27 julho 2010 em 22:11 e Nenhum Comentário

 

 

Por: Sidney Santos Joaquim

Ele trabalha de 12 a 14 horas por dia e está à frente num dos maiores jornais da TV brasileira com garantido índice de audiência, foi o mais jovem repórter a apresentar o programa “O Globo No Ar” da Rádio Globo e hoje apresenta o “SP Record”.

É Reinaldo Gottino, 40 anos, jornalista e apresentador em entrevista exclusiva fala ao repórter do portal Estrada do Saber  sobre os cuidados que devemos ter com a voz e sobre a facilidade que um profissional do radio encontra quando se trabalha na TV.

Leia post completo →

+ Momento de reflexão Por Cristovão Lemos 16 julho 2010 em 0:16 e Nenhum Comentário

Nós do site  Estrada do saber, queremos passar uma mensagem para você que tem uma vida agitada, cheia de compromissos, sem tempo para a família, os amigos e todos aqueles que se importam com você, por isso postamos esta mensagem para você refletir sobre sua vida e ver que existem coisas mais importantes do que só trabalho e a correria do dia-a-dia.

Prof.  Cristovão Lemos

+ Adriana Reid, a apresentadora que saiu da FiAAM Por Cristovão Lemos 15 julho 2010 em 22:18 e 5 Comentários


Por Sidney Santos

Desde criança ela já chamava a atenção dos adultos com sua voz marcante e aveludada. Para sua sorte teve grande influência de seu avô, o que colaborou para sucesso de seu trabalho. Ela já atuou na Radio Transamérica como locutora e redatora e também preparava boletins para a rádio 89 FM. Hoje está à frente do jornal “Direto da Redação”, apresentado pela Rede Record e que vai ao ar de segunda a sexta feira. Eventualmente ela apresenta, aos sábados, o “Jornal da Record”, carro chefe da emissora em jornalismo.

Ela é a jornalista e apresentadora Adriana Reid, ex-aluna das Fiaam que, em entrevista, fala um pouco das dificuldades pelas quais passou no começo de sua carreira, da lei que regulamenta o ensino de jornalismo e da não obrigação do diploma para o jornalismo. E fala também como foi o seu tempo de estudante na Fiaam.

Leia post completo →

+ O ônibus cantinho do céu? Por Cristovão Lemos 15 julho 2010 em 22:06 e Nenhum Comentário


Por: Sidney Santos

02h40min. Esse é o tempo em média que leva um morador do bairro do Jardim Eliana até o bairro de Interlagos no ônibus “cantinho do céu/Cocaia” para ir trabalhar.

Grande ironia esse nome “cantinho do céu”, pois os moradores desse bairro vivem verdadeiro inferno dentro desses coletivos que são grandes latões ambulantes que mais parece um forno do que um transporte; a reportagem foi até o local onde constatou essa grande humilhação vivida pelos moradores do bairro

Clemência Inácia da Costa, 48 anos empregada doméstica, acorda todos os dias as quatro da manha para ir trabalhar, onde entra às 8hs “espero quase 1 hora para sentar todos os dias” desabafa.

Leia post completo →

Página 3 de 5« Últimos...134...Antigos »